Funbel oferece curso de capacitação sobre Transtorno de Espectro Autista

Inclusão social e conscientização sobre autismo.

 A Fundação de Desenvolvimento Social de Belford Roxo (Funbel) está promovendo na sede uma capacitação pedagógica no cuidado da pessoa com Transtorno do Espectro Autista (TEA). O curso é gratuito e as aulas acontecem todas as quintas-feiras, de 8h às 12h.

O curso possui 80 horas de duração e aborda os seguintes temas: conceito e características típicas do TEA; a prevalência do TEA na população; escalas de rastreamento de sinais de TEA; transtornos psicológicos e neurológicos da Infância e fase adulta; a aprendizagem e o afeto nas fases do desenvolvimento; o impacto do autismo nas atividades de vida diária. O curso será finalizado com a apresentação de seminários realizados pelos alunos.

O presidente da Funbel, Ronaldo Anquieta, pontuou sobre o acolhimento das pessoas com TEA no município. “Temos suporte das escolas especializadas em ensinar crianças especiais, assim como equipes multidisciplinares que realizam atendimentos nos Centros de Atenção Psicossocial (Caps)”, comentou. “Essa ação integrada dos equipamentos municipais promove uma continuidade no tratamento dos usuários que faz toda a diferença em relação a qualidade de vida do autista”, finalizou Ronaldo.

Estímulos e condições

As coordenadoras do curso, a pedagoga psicomotricista Claudia Hosana e a psicóloga psicomotricista Renata Freitas, reforçaram a importância do autista na inclusão social, afetiva e educacional. “Esse curso foi criado para ajudar os pais e profissionais que habitam o universo da pessoa autista, de todas as faixas etárias. Ensinamos no curso os estímulos e condições para que a inclusão dos autistas nos ambientes seja completa”, explicou Claudia. “O conteúdo do curso aborda todas as fases da vida do autista, assim é possível entender e compreender os comportamentos durante o desenvolvimento cognitivo e psicológico, da criança até se tornar adulta”, completou Renata.

O curso de capacitação faz parte do programa Nafa (Núcleo de Acolhimento à Família do Austista), que acolheu mais de 140 famílias desde a sua criação há dois anos. A equipe do Nafa acompanha, escuta e compartilha informações com as famílias para direcionar tratamentos e avaliações em parceria com outros equipamentos no município.

Mãe de um menino de 5 anos com TEA e graduanda em pedagogia, Débora Souza, relatou a experiência de fazer parte do curso e do acompanhamento do Nafa. “Como mãe é importante buscar técnicas e conhecimentos para estimular e desenvolver meu filho em casa. Estou feliz de fazer parte desse grupo, me ajudou muito no período da pandemia”, relatou. “Cada criança tem seu tempo de aprendizado, é preciso estar atenta aos detalhes de comportamento nesse processo”, acrescentou Débora. 

Redação: Jornalismo A Voz do Povo.

Direção: Jornalista Marcio Carvalho.

Deixe seu comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem

Publicidade