‘Julho Amarelo’ aborda sintomas, contágio e tratamento dos tipos de hepatite

     O Centro de Acompanhamento e Controle Epidemiológico (Cace), unidade de referência da Secretaria Municipal de Saúde de Belford Roxo (Semus) para tratamento de doenças infecciosas, recebeu, nesta sexta-feira (28-07), as atividades do Dia Mundial de Combate às Hepatites Virais e do Julho Amarelo, mês dedicado à conscientização e à prevenção da doença.  

A equipe da Secretaria Executiva de Vigilância Epidemiológica da Semus (Seve) promoveu palestra para esclarecer à população formas de contágio e como se prevenir. “Levar informação qualificada para nossos munícipes é uma das formas eficientes de prevenção”, declarou o secretário Municipal de Saúde, Christian Vieira.

            Em sua palestra, o supervisor da Divisão de Agravos Transmissíveis da Seve/Semus, Ricardo Lopes, reforçou os cuidados que a população deve tomar para se prevenir. “São atitudes simples que podem evitar o contágio e um possível agravamento por um dos cinco tipos de hepatite. Todas têm vacina disponível na rede pública e têm tratamento, quando diagnosticadas por testagem específica”, explicou o supervisor da Seve.

Prevenção e sintomas

            A importância da prevenção foi destacada pela aposentada Marly Rocha da Oliveira, 66 anos, que está iniciando o tratamento para hepatite no Cace. “Perdi minha mãe para a hepatite e, agora, fui encaminhada pelo meu médico para começar a tratar aqui. Digo que os sintomas variam de pessoas para pessoa, mas são todos ruins. Peço para as pessoas tomarem as vacinas e procurarem os postos de saúde para fazer a prevenção. É uma doença que não dá sinal no início e que podem piorar com o tempo”, lembrou, emocionada, Marly Rocha.

            As hepatites são infecções que atingem o fígado e que podem ser causada por vírus ou por abuso de álcool, remédios e drogas ilícitas. As de origem viral são de cinco tipos (‘A’, ‘B’, ‘C’, ‘D’ e ‘E’) e a mais comum é a do tipo ‘A’. “Cuidados com a higiene pessoal e na preparação e consumo de alimentos são as principais recomendações das autoridades de Saúde para o controle de várias doenças, inclusive da hepatite”, esclareceu Helena Maria da Silva Cruz, administradora do Cace.

 Redação: Jornalismo A Voz do Povo.

Direção: Jornalista Marcio Carvalho.

Deixe seu comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem

Publicidade