Belford Roxo abre Campanha Agosto Lilás

  A Secretaria Municipal de Assistência Social, Cidadania e do Combate à Fome (Semascf) lançou a campanha Agosto Lilás, com objetivo de discutir temas relacionados ao enfrentamento da violência contra a mulher. 

O evento, que aconteceu no Teatro da Cidade, bairro Piam, abordou o tema: “Violência, você pode estar passando por isso e não sabe”. “Sororidade (companheirismo, empatia, irmandade, solidariedade, união). Essa é a palavra que todas as mulheres que lotam esse auditório, devem levar daqui e multiplicar”, disse a anfitriã da solenidade, a secretária da Semascf, Tati Ervite. A campanha comemora também, o 17º Aniversário da Lei Maria da Penha, festejado nesta segunda-feira (07/08), em todo o país.

            O secretário municipal de Segurança Pública, Luciano Arigone; a titular da Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam), delegada Ana Carla Nepomuceno; Assessora Técnica da Secretaria de Estado da Mulher, Soraya Cavalcanti; a psicóloga do Centro Especializado de Atendimento à Mulher de Belford Roxo (Ceambel), Marcele Lourenço e a guarda municipal do quadro efetivo da prefeitura, Érica Gonçalves, responsável pelo projeto Viatura Solidária, palestraram sobre o tema para o público presente.

Agosto Lilás

            A Semascf estará promovendo palestras e oficinas, durante todo o mês, alusivas à Lei Maria da Penha, nos Centros de Referência de Assistência Social (CRAS), nos Centros de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS), no Centro Especializado de Atendimento à Mulher (Ceambel) e nos bairros, distribuindo cartilhas e panfletos informativos, através do projeto Assistência Presente.

            A Lei Maria da Penha recebeu esse nome em homenagem à biofarmacêutica cearense Maria da Penha Maia Fernandes. Depois de sofrer duas tentativas de homicídio por seu marido, lutou para a criação de uma lei que contribuísse para a diminuição da violência doméstica e familiar contra a mulher. É uma lei federal, sancionada em 2006 pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que objetiva proteger a mulher da violência doméstica e familiar.

Tipos de violência

            Há cinco tipos de violência contra a mulher: Violência Física, Violência Sexual, Violência Psicológica, Violência Patrimonial e Violência Moral. “Uma vez palestrando para alunos nas escolas municipais sobre os tipos de violência contra a mulher, fui surpreendida por um aluno que me pediu para explicar, novamente, sobre o tema: Violência Patrimonial. Ele anotou todos os detalhes no caderno. Eu perguntei o motivo do interesse. Ele disse que ia mostrar para o pai e dizer para ele que estava praticando tal violência contra a sua mãe”, contou Érica Gonçalves. Durante o evento, os atores, Ana de Souza e Lui Santos, interagiram com o público encenando a peça, “Não se deixe AMORdaçar”.

            Ano passado, o Brasil registrou 1.410 casos de feminicídios. Em média, uma mulher foi assassinada a Cada seis horas. Os números são do Monitor da Violência, do Portal G1 e do Núcleo de Estudos da Violência da USP.

            Em Belford Roxo, mulheres em situação vulnerável e vítimas de violência podem procurar ajuda nos seguintes locais: Delegacia Especializada em Atendimento à Mulher (Deam), Avenida Retiro da Imprensa, 800, Bairro Piam, Tel: 3771-1475; Centro Especializado de Atendimento à Mulher (Ceambel), Avenida Joaquim da Costa Lima, 2490, Bairro Santa Amélia; Guarda Municipal /Viatura Solidária, Avenida Joaquim da Costa Lima, 2415, Bairro Santa Amélia; nos treze Centros de Referência de Assistência Social (CRAS), nos três Centros de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS): CREAS 1 – André Luiz Bonfim de Alencar, Centro, CREAS II – Leonardo Targino do Carmo, em Santa Amélia e CREAS III – Irmã Filomena, Bairro Parque Amorim e  Centro de Referência Especializado para População em Situação de Rua – Centro Pop, Rua Itaiara, 176,Bairro das Graças.

Redação: Jornalismo A Voz do Povo.

Direção: Jornalista Marcio Carvalho.

Deixe seu comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem

Publicidade